header image

Nosso Blog

Próximo Evento

ALIMENTAÇÃO FORA DO LAR – DA SOLUÇÃO AO PROBLEMA

ALIMENTAÇÃO FORA DO LAR – DA SOLUÇÃO AO PROBLEMA

Você, que se alimenta fora de casa com frequência, já parou pra pensar sobre suas escolhas alimentares durante o dia?

De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular, 65,3% dos trabalhadores em todo o país realiza alguma refeição fora de casa, decorrente da ampliação do mercado de trabalho.

Muitos estudos tem demonstrado forte relação entre a alimentação fora do lar e problemas de saúde, principalmente o sobrepeso e a obesidade. A propósito, este tema tem sido frequentemente abordado pela mídia, bem como pelas autoridades da área da saúde, a exemplo do Conselho Regional de Nutricionistas (CRN), que definiram o tema como base central de campanhas de utilidade pública no ano passado.

Segundo pesquisa realizada na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), mais da metade dos paulistanos que se alimentam fora do lar sofrem com problemas relacionados ao sobrepeso, o que sugere um futuro grande problema para a saúde pública em todo o país. Sabe-se que o sobrepeso e obesidade são fatores que predispõem o indivíduo a diversos males denominados “doenças crônicas não transmissíveis – DCNTs”, tais como: hipertensão, diabetes, níveis de colesterol “ruim” acima do aceitável, entre outros.

No quadro abaixo, pode-se observar a contribuição de determinados grupos alimentares que compõem a alimentação de boa parte dos que se alimentam fora de casa:

 

Contribuição dos grupos alimentares no consumo de açúcar de adição na alimentação fora de casa

 

CAFÉ DA MANHÃ

Açúcar refinado

28,9%

Refrigerante

23%

Doces

21,7%

ALMOÇO

Refrigerante

63%

Doces

22%

Suco de fruta

4%

JANTAR

Refrigerante

68%

Doces

14%

Suco de fruta

5%

Fonte: Dissertação de mestrado da USP: ‘Alimentação fora do lar e sua relação com a qualidade da dieta
dos moradores do município de São Paulo’

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Verifica-se que os açúcares estão presentes na alimentação de boa parte da população paulistana. Já as frutas (no caso, apresentado na forma de suco), tem a menor parcela neste consumo.

Mas afinal, o que fazer para melhorar essa alimentação fora de casa mais saudável?

Simples!

Para você que almoça/janta em restaurantes:

• procure incluir mais saladas em seu prato: folhas, verduras e legumes cozidos (sem molhos) são ótimas opções. Tente evitar preparações muito calóricas ou gordurosas (salpicão de frango ou salada com maionese, por exemplo);           

• procure evitar as frituras, ou caso queira consumir algo frito, escolha apenas um item e busque não consumir diariamente;

• na hora de escolher a carne, tente escolher aquela com menos gordura (de preferência cozida, assada ou grelhada);

• quando for escolher a sobremesa, tente resistir aos milhares de doces que ficam tão disponíveis e atrativos nesta hora do dia. Caso haja a opção das frutas, faça uma pequena porção e aproveite o sabor e os benefícios que elas podem lhe proporcionar!

Para você que leva sua refeição de casa para o trabalho:

• procure escolher opções mais saudáveis (como as citadas acima), e acondicione em um recipiente térmico, evitando que este alimento estrague;

• para os lanches, leve consigo frutas cortadas e acondicionadas em pequenos potes fáceis de levar na bolsa ou até mesmo aquelas que não necessitem de refrigeração, tais como banana, maçã, pêra, etc. Garrafas com sucos de fruta também são fáceis de levar e bem mais saudáveis que os refrigerantes e as bebidas gaseificadas.

E é claro, beba bastante água ao longo de todo o dia!

 

Pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença no seu dia-a-dia! Fique atento!

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” – O Pequeno Príncipe

Até a próxima!

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *