header image

Nosso Blog

Próximo Evento

CUIDADOS COM O SAL !

A maioria dos brasileiros consome mais sal do que o recomendado pelos órgãos nacionais e internacionais de saúde que é de 5 gramas/dia segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A análise de consumo alimentar pessoal, da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em 2011 mostra que, no caso dos jovens, o dado é ainda mais alarmante. Mais de 81% dos meninos e de 77% das meninas, todos com idade entre 10 e 13 anos, ingeriram mais sódio do que o valor máximo tolerável. Entre os meninos nesta faixa etária, 10% consumiram mais do que o dobro desse limite.

Apesar dos termos serem usados indiscriminadamente, sal e sódio não são a mesma coisa. O sódio (Na) é um mineral que se liga ao cloro (Cl) para formar cloreto de sódio (NaCl), estes sim o nosso sal de cozinha. O sódio apresenta um papel importante em diversas funções do organismo, principalmente no equilíbrio entre os fluidos  de dentro e fora das células. Atua também na transmissão de impulsos nervosos em todo corpo, permitindo assim o funcionamento do cérebro e o controle de nossas funções vitais.

Já o cloro, outro mineral que compõem o sal, também é essencial para uma boa saúde e é fundamental para o processo digestivo. No estômago, ele é a base para o suco gástrico, que “quebra” e ajuda a digerir os alimentos. Ele também aumenta a capacidade do sangue de carregar gás carbônico das células para o pulmão. Juntos, na forma de sal, sódio e cloreto (cloreto de sódio) estão presentes em todos os tecidos e fluidos do organismo humano, como por exemplo, o suor e as lágrimas. Um homem adulto tem cerca de 250 gramas de sal em seu corpo.

O sódio, em excesso, pode causar estragos que vão muito além da hipertensão, seu malefício mais conhecido. Um estudo quentíssimo da Universidade de São Paulo prova que uma molécula conhecida como angiotensina II  formada constantemente na corrente sanguínea com a função de regular a pressão arterial, poderia invadir os tecidos do coração quando o nutriente é consumido além da conta. A consequência, em longo prazo, seria a falência cardíaca.

Para deixar o dia a dia, digamos, com pitadas a menos de sódio, não basta “maneirar” no consumo de produtos industrializados, que costumam vir recheados do mineral. Na verdade, a principal fonte do nutriente na nossa alimentação é o… saleiro. A conclusão é do endocrinologista Flávio Sarno, da USP, que catalogou dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE. “Cerca de 70% do sódio que ingerimos vem do sal de cozinha e de condimentos à base dele usados nas preparações caseiras”.

Uma dica para substituí-lo ou consumir menos é utilizar as ervas como salsinha, orégano, alecrim,cebolinha, pimenta, cúrcuma, salvia, açafrão e até o limão no tempero de saladas,carne,  aves, peixes.

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *